O lago místico - Kristin Hannah

sábado, 8 de agosto de 2015 Marcadores: , ,

Título: O lago místico
Autor/a: Kristin Hannah
Páginas: 368
Editora: Novo Conceito
Ano: 2014
Sinopse: Esposa e mãe perfeita, Annie vê o seu mundo desabar de uma hora para outra quando é abandonada pelo marido. A fuga momentânea é para Mystic, a pequena comunidade onde ela cresceu e onde o seu pai ainda vive. Lá, Annie começa a se reerguer novamente, descobrindo o amor por si mesma, por um velho amigo solitário e por uma garotinha que acaba de perder a mãe. Tudo está se encaixando na vida de Annie. Nick e Izzy se tornaram uma parte importante de seu processo de cura, e ela também se tornou essencial para a sobrevivência da relação entre pai e filha. Até que o seu ex-marido reaparece... e a tranquilidade rapidamente dá lugar ao desespero. Kristin Hannah encanta mais uma vez com uma história comovente, sensível e verdadeira sobre perda, paixão e os fios frágeis que unem as famílias.
Avaliação: 5/5 estrelas
Comprar

Kristin Hannah foi uma autora que ficou durante alguns meses na minha estante. O motivo? O drama carregado em sua história. Não estava muito na época de ler livros desse gênero e acabou que o livro sendo esquecido. Nas férias, decidi iniciar a leitura. Demorou mais do que eu imaginava, mas afirmo que a autora me surpreendeu muito e fez jus aos comentários que já havia lido sobre sua obra.

Anne é casada com Blake por mais de 20 anos e mãe de Natalie, quando vê seu mundo desabar após descobrir que o marido a traia com outra mulher. Sem chão de seguir em frente, ela decide passar uma temporada em Mystic, cidade onde nasceu. Lá encontra Nick, primeiro amor de sua juventude. Ele, que perdera a mulher recentemente, tenta levar a vida, muitas vezes sem sucesso, junto de sua filha pequena, Izzy, que, por causa da morte da mãe, silenciara totalmente e acreditava estar desaparecendo. Annie, por sua vez, decide dar uma ajuda ao velho amigo, cuidando de Izzy, enquanto tenta esquecer os problemas e dores do passado. Quando tudo está entrando nos conformes, onde Izzy vê em Annie um porto seguro e Nick está conseguindo superar a morte da amada, uma surpresa do destino coloca Annie contra a parede e a força tomar uma decisão que nenhuma mulher deveria tomar.

Enquanto realizava a leitura, não podia deixar de fazer relações com o livro do Nicholas Sparks, Uma curva na estrada. Talvez pelo fato das histórias se assemelharem (e tê-lo lido recentemente) ou pelo fato de os estilos dos autores se assemelharem, O lago místico me ganhou em todos os sentidos, se mostrando uma história de autodescobrimento. Kristin apresenta uma mulher madura, que sempre viveu para sua família, mas que após uma traição, vê-se sem chão e estruturas. Acaba que encontrando no amor de juventude uma maneira de encarar a vida de outra maneira, além de se descobrir como mulher.

Engraçado como alguns livros mexem profundamente com o nosso emocional. A narrativa da autora, desde o começo, se mostra carregada de um sentimentalismo e uma emoção profunda que não tem como não mexer com o leitor. Deixo claro que, a partir do momento em que Annie descobre a traição, sofri junto da personagem. Porém, ao acompanhar a jornada desta, não tive como não torcer por ela. A partir do reencontro com Nick e do relacionamento com Izzy, vi ali uma oportunidade que a protagonista poderia encontrar sua felicidade.

Uma carta na manga, que me fez gostar mais ainda da história foi Izzy. A história é contada em terceira pessoa, sobre a perspectiva de diversos personagens, mas o que mais me encantou, ao mesmo tempo em que percebi o quão desafiador era, foi o fato de que a autora incluiu algumas sequências de cenas sobre o ponto de vista da pequena de seis anos. E não apenas isso. Izzy está passando por um momento difícil de sua vida, e acredita estar sumindo. Não conversa com ninguém, age como se não tivesse mais a mão direita e acha que está perdendo a outra. E Kristin soube lidar com os pensamentos da menina de tal forma que conseguíamos entender perfeitamente o que a menina estava passando. A falta que a mãe fazia; os momentos em que via ela e pedia para ir junto. Ao mesmo tempo, temos seu pai se afundando cada vez mais na bebida, tentando entender porque a mulher havia feito aquilo com ele. Isso gera um distanciamento entre a filha e o pai, pois esta não reconhece mais aquele homem que um dia admirara.

Logo, o encontro entre Izzy e Annie, seguido do relacionamento e da amizade que surge entre as duas, é uma explosão de sentimentos que emociona e toca o leitor profundamente. E Kristin consegue lidar com tudo isso, levando a história por diferentes caminhos, cativando o leitor para que chegue até o fim. Houve momentos de lágrimas, de risos e de felicidade. Cheguei ao fim com o coração apertado, mas com a sensação de dever cumprido e o desejo de conhecer outras obras da autora (Jardim de Inverno está na estante esperando para ser lido)

Seja o primeiro a comentar: